O cancelamento da mostra Queermuseu por pressão do MBL é só mais uma evidência de que boa parte dos liberais brasileiros são conservadores com nível intelectual com espessura de uma hóstia, já que o Estado Laico não é só uma conquista republicana, mas também da burguesia.

Chega a ser irônico que a instituição cultural que cedeu ao boicote seja justamente mantida por um banco. Mas no Brasil é isso mesmo: “progressistas” beija-mão de Papa e “liberais” que se preocupam com “blasfêmias”.

É a nossa tradicional vocação para o fiasco enquanto projeto político, que impera de desde 1.500.